terça-feira, 31 de agosto de 2010

Mudanças...

Eu fui crescendo, e desde bem pequena já tive que me acostumar com as mudanças. Mudança de casa, de escolas, de cidade e até de estado. Essas mudanças aconteciam por causa do tipo de trabalho do meu pai, ele era encarregado de obras de uma empresa (Imperpavi) de recapiamento de asfalto, então quando a obra daquela cidade acabava, tínhamos que mudar para outra, e isso acontecia em média de duas a três vezes no ano.
Com essa situação eu tinha dificuldade em  aprofundar relacionamentos e sempre que estava começando a me acostumar com os amigos, com a escola, com os professores, lá ia eu arrumando novamente a minha mudança.
Talvez outra criança no meu lugar tivesse muita dificuldade com essa situação, em que toda hora troca-se tudo na vida, porém eu tirava de letra essas dificuldades pois sempre fui muito espontânea e extrovertida e até gostava da novidade e de ter muitos colegas espalhados por esse Brasil e também mudar de escola.
Pense...Se o professor fosse chato logo teria a chance de ter outro professor e não precisaria esperar até o outro ano.
E como sempre fui chorona, as despedidas eram a parte mais tensa desta hitória de idas e vindas, mas essa vida nômade que eu levava me ajudou a adquirir alguns hábitos que levo comigo até hoje como: escrever (pois me correspondia com cartas com todos meus colegas, não tínhamos internet) e também a  facilidade de adaptação, que faz com que eu me sinta em casa em qualquer lugar num curto espaço de tempo.
Todas as nossas experiências são valorosas, só precisamos tirar o melhor de cada situação!

Um comentário: